A persistência do tempo

9 08 2008
por Yin Yang
“Every year is getting shorter, never seem to find the time
Plans that either come to naught or half a page of scribbled lines
Hanging on in quiet desperation is the english way
The time is gone, the song is over, thought Id something more to say”
A persistência da memória – Salvador Dali Time – Pink Floyd

A Internet fez com que a informação se tornasse de mais fácil acesso do que antigamente, afinal é inegável que se pode ter várias fontes diferentes de informações a um clique, comodamente sentado em frente ao computador. Porém, ao mesmo tempo pode-se tornar difícil absorver essa mesma quantidade de informações que são nos oferecidas. Mais do que nunca, o tempo está se tornando um inimigo intransponível, não adianta termos cada vez mais velocidade para conseguir informações, pois conforme aumenta a velocidade, também está se aumentando proporcionalmente a quantidade de informações que nos parece ser úteis.

Atualmente, eu estou tendo problemas sérios de falta de tempo para conseguir ler tudo que me é mostrado, e que eu realmente quero ler. Sem contar nos recados dados em diversos sites de relacionamentos, microblogs e posts em blogs que eu adoro ler e comentar. Engraçado que até pouco tempo atrás o meu circulo virtual-social era associado a blogs e ao orkut, porém hj em dia tenho contas em varios locais, fico no microbloging sempre que dá (uso mais o Plurk), preciso trabalhar, ter o convívio com as pessoas no mundo real, assim como viver nele também, estudar por fora novas linguagens, métodos, certificações… nesse meio tempo é gtalk, msn, skype, emails chamando para coisas legais ou covnersas inúteis… UFA!

É muita coisa ao mesmo tempo, ficando pouco tempo em si para ficar parado filosofando, aquele tempo em que se fica sozinho e que vem novas resoluções e rumos para a vida. Tempo que eu consigo altamente necessário, pois não consigo imaginar uma vida sem ter esse tempinho tão necessário para traçar novos rumos e objetivos na vida. Parece que sem isso vivo apenas maquinalmente, com poucos prazeres e principalmente sem motivação.

Confesso que trabalhar agora está sendo maravilhoso financeiramente, ainda mais com os problemas de dinehiro que a familia anda passando. Mas, (sempre tem um MAS né?) reduziu drásticamente meu tempo de sonhar e de tentar realizar sonhos. junte a isso o desânimo de fazer algo sempre no mesmo horário (odeio rotina), o cansaço que ando sentindo e a pressão para resulatdos rápidos. Provavelmente por causa do mesmo vilão – o tempo, no caso a idade – hoje em dia não consigo mais sentir-me satisfeito com apenas 4 horas de sono diários, estou beirando já as 7 horas de sono diárias para me sentir BEM disposto.

Eu adoraria ter mais tempo para ver tudo que me recomendam, sejam livros, filmes, jogos, lugares… mas não dá! fico nove horas no ambiente de trabalho, demoro 2 horas apenas pra me locomover entre casa-trabalho, coisa que aliás acho pior que o trabaho, pois é tempo perdido sem aproveitamento algum, se somar 7 horas de sono sobram “livres” só QUATRO horas durante a semana “útil” para o que eu desejar fazer de modo livre. E se eu for acrescentar a academa, atividade que parei de fazer por causa de falta de dinheiro e que agora quero voltar (e tenho, pq estous em fazer atividades físicas), eu gasto no mínimo mais 2 horas desse tempo “livre”.

Sei que estou parecendo um velho caquético reclamando disso, mas creio que numa sociedade tão veloz como a nossa, ter controle do tempo e gastar o menos possível este precioso (e esacasso) recurso de bobeira.

Para isso algumas atitudes poderiam ser interessantes:

horário de trabalho flexível: as vezes uma pessoa não está rendendo muito bem em um dia, se pudesse ir pra casa, descansar um pouco, pode ser que no mesmo dia ela volte com mais disposição, sem contar que as vezes essa relaxada faz a pessoa enxergar o problema de maneira mais clara e a solução aparece. Sem contar que isso poderia gerar uma diminuição no transito das grandes cidades, que é um dos motivos de stress antes mesmo do dia de trabalho começar.

local de trabalho flexível: sim, é difícil mesmo de se controlar o quanto se trabalha em casa, mas tem momentos em que o empregado ficar em casa vai ser muito mais benéfico tanto para ele quanto para a empresa, seja pelo trânsito infernal, seja para quebra de rotina (grande fator para desanimo não somente o meu). não é tornar a pessoa uma vagabunda sem responsabilidade, pelo contrário, grandes profissionais mostraram maior responsabilidade trabalhando de maneira mais flexível que o empregado que fica “engessado” dentro da empresa.

Organização de informações: essa parte é a mais dificil pra mim, sou caótico por natureza, porém conseguir organizar as informações pode otimizar o tempo perdido na sua localização e entendimento. Utilizar de artifícios como calendários e notas podem ser muito utéis, desde que organizados. Para filtrar um pouco das informações que vem da internet, pode-se utilizar um leitor de RSS para os diversos tipos de informação, inclusive por prioridade, dos sites que se visita mais. Mostrar as pessoas que quando vc coloca um tipo de estado “ocupado” nos seus comunicadores é para não ser interrompido por qualquer coisa é essencial. Conversar é maravilhoso, mas tem horas que a concentração é imprensidível e se abrir excessão para uma pessoa, a excessão pode se tornar a regra.

tem muitos outros que podem ser incorporados, mas acho que só com esses três uma melhoria no uso do tempo já é notória e satisfatória.

Pra finalizar, pois esste texto já está enorme e o tempo que vcs perderam nele já está maior do que eu imaginava inicialmente, gostaria de pedir desculpas por sumir do blog, justamente o tempo foi meu inimigo, pois eu demoro pra escrever algo, pois vou escrevendo e se não gosto, apago e começo denovo e nisso as vezes o qeu escrevo já é passado, nem vale a pena publicar. Para quem leu, fica o pensamento: será que eu utilizo o tempo do jeito que gostaria? o que posso fazer para que eu possa utilizar o tempo ao máximo?

O tempo não pára e a vida é finita.

ps1> esse texto foi se desenvolvendo através dos comentários lidos no plurk da Patricia Muller, sobre seu novo blog, o Infinito Atemporal, somados a falta de tempo que tive para entrar no brainstorm para criação do nome de blog.

ps2> o uso da palavra “tempo” exageradamente foi proposital, incialmente queria colocar ele em intervalos pré definidos, como se fosse o texto uma propria marcação de tempo, um tic-tac imaginário, mas infezlimente minha falta de paciência venceu o lirismo.

ps3> antes que perguntem, sim o título deste tópico é uma mescla dos titulos do quadro e música apresentados antes, achei que se encaixou perfeitamente… além de me ajudar em uam das minhas dificuldades: nomear algo.





A faculdade e eu 4: a defesa (final??)

4 01 2008
por Yin Yang

Olá pessoas que talvez leiam isso!! Como foram de festas?? esperam que tenham sido boas!! As minhas foram muito corridas, mal comemorei as festas e já estava a mexer na minha ferrmenta para o dia de hj: a defesa final do TCC!

Finalmente chegou o dia… o dia que tudo pode dar certo ou dar muito mal, afinal a rejeição do projeto significa na maioria das vezes iniciar um novo. Eu cheguei dia 03 aqui e recebi muita ajuda mesmo da minah orientadora para a apresentação, que ficou muito dinâmica após as suas dicas.

Fiquei esse tempo todo refazendo a apresentação, mexendo em coisas da ferramenta para mehorá-la ainda, ams acima de tudo fiquei treinando o que iria dizer, pois são apenas 20 minutos de apresentação!

Na hora que iria começar minha mão suava gelado, tremia demais e quase engasquei logo de início, mas depois fui me empolgando em falar do projeto – que apesar de tudo foi muito prezeroiso, aprendi coisas pra cacete – ficcando apenas a tremedeira como sinal ainda do meu nervosismo… ou que eu tremo assim mesmo, ahuahuahua

no fim da apresnetação, mostrei a ferramenta e deu tudo certo!!

Acabando minha parte, fiquei esperando que a banca metesse o pau am algo do projeto, mas nada!! recebi apenas elogios e dicas tanto para arrumar na monografia final como para algum projeto futuro.

É isso… pelo jeito é o fim da minha epopéia na faculdade… pelo menos até eu seguir para um mestrado/doutorado e/ou se ganhar o suficiente para faezr o meu outro sonho: MEDICINA, ahuahuahuahua

Provavelmente eu talvez coloque algo sobre a colação de grau ou do baile, o que também não deixa que eu utilize a palavra final com certeza.

Mas o mais engraçado é que estou eufórico pelo término, mas triste por ter de sair deste clima maravilhoso que é o universitário. vou sentir falta, isso tenho certeza. Tantas amizades, namoros, ficos, saídas aleatórias, festas, interunesps, repúblicas que morei/fiquei hospedado, epócas felizes, epócas tristes, epócas sombrias e aprendizado que recebi em apenas 5 anos! parece muito, mas se ver que fiquei apenas 1/5 da minha vida aqui e parecendo que isso vai acabar não é algo que eu queria.

a mudança está batendo a porta já, mas cabe a mim escolher como devo viver isso, o que devo manter (ou tentar manter) e o que devo retirar. agora estou em momentos de reflexão, de balanço e de observar o qeu é melhor para mim. o futuro não é certo, mas posso dizer que, agora falando já no passado, a faculdade e todo sacrifício que fiz valeram a pena.

A grande maioria das pessoas pensam em mudar a vida na virada do ano, no meu caso foi um pouco depois, mas tem coisas que gostaria neste ano:

  • Reaprender a tocar violão (história longa… nem vou contar)
  • Aprender novas linguas
  • Me mudar para o sul num trabalho bom e que eu consiga viver bem (descobri nessa vida boa de interior que como faz diferença ter qualidade de vida… aliásnem tenho vontade de voltar p/ sampa por causa disso)
  • Ler mais
  • Aprender mais
  • Tentar terminar de escrever “Project Ragnarok”
  • Aprender a desenhar de verdade, por causa do item acima.. ele será uma hq incialmente
  • fazer academia sempre e perder a maldita barriga de chope
  • não para de beber mesmo assim
  • fazer muito mais esportes
  • descobrir as pessoas que realmente me amam e as que somente me usam
  • viajar o máximo que puder
  • ajudar o máximo que der os outros

Se eu conseguir fazer metade disso seria um ano muito bom, mas mesmo asism deve bater auqela saudade no coração destes tempos!





A faculdade e eu 3: a monografia

19 12 2007
Por Yin Yang

Olá 0000002 pessoas que lêem este blog!!

Hoje vou dizer a minha epopéia para entrega da monografia do meu trabalho de conclusão de curso: as dificuldades, as coisas que fiz de errado e tb o que eu acho que está errado no modo de apresentar a mesma.

Tudo começa com vc procurando um orientador, e muitas vezes atrás do projeto também. No meu caso eu tinha um outro que eu estava fazendo mas como não ia toda hora ficar mostrando o que estava fazendo, e também porque o projeto era grande e importante, o meu ex-orientador passou ele para uma pessoa do mestrado, com isso tive de sair correndo atrás de um projeto rápido para tentar concluir o curso no ano passado. Ledo engano… o porjeto não foi completado e por isso fiquei mais um ano, o que foi bompra mim.

meu projeto foi a elaboração de uma ferramenta para elaboração de páginas de lojas virtuais, com uuma pesquisa empírica para descobrir o que se deve fazer para melhorar a satisfação do consumidor… foi divertido fazer o memso, tirando a programação, que programar as vezes não acontece tudo da maneira como vc modelou.

Hoje o projeto apresenta falhas sim, principalmente na interface gráfica, mas também a faculdade não dá uma aula SEQUER sobre isso. Com isso tive que aprender tudo sozinho, o que é legal, porém a falta de um feedback as vezes pesa na hora de exibi-la.

Neste ano entreguei os capitulos de referencias bilbiográficas e execução d projeto sem atrasos, mas não recebi nenhum retorno da banca. Está errado… poxa, se não é para receber um retorno, pra que obrigar o aluno a entregar isso?? apenas para gastar papel?

Já na entrega da monografia final, eu e minha orientadora tivemos atrasos e por isso perdi pontos. mas o pior é ter de imprimir TRÊS VIAS da monografia, que no meu caso são 99 páginas, sendo umas 32 de páginas coloridas! Pô, os professores tem impressoras para usar de graça e a gente que tem que gastar uma fortuna p/ entregar p/ eles? até parece que não sabem que universitário é tudo fodido de grana, tirando os boyzinhos.

Agora é fazer a apresentação para a defesa, que no meu caso vai ser no dia 04 de janeiro… é isso mesmo, logo depois do feriado, fazer o que…

vou agora voltar pra minha apresentação e arrumações na ferramenta!

abraços por manos e beijos pras minas





A faculdade e eu 2: InterUnesp 2007

20 11 2007
por Yin Yang

No post anterior eu falei mais das coisas ruins da faculade que qualquer outra coisa, porém seria injusto falar somente mal dela, então decidi fazer uma geral no MAIOR evento universitário do país: o Interunesp.

Para os que não sabem, o Interunesp são os jogos universitários e festas que se encontram todos os campus da Unesp. Há dispoutas com troféis medalhas, pontuação e primeira e segunda divisão inclusive. A diferençaa enrte as divisões são os repasses de verbas, os times que jogam na segunda tentam subir para a primeira e os ad primeira tentam não cair… ou vencer sempre se o campus for bom. No caso do meu campus, está mais para não cair.

Os jogos são divertidos, não só por torcer pelo time, mas também pela integração dos campus… aliás muitos nem vão ver o jogo e ficam na tenda de música para assim poder conhecer um pessoal de looonge, hehehehe.

Novos bons amigos.... do campus de araraquara!

eu fiquei nos jogos que achei interessante e o resto do tempo conhecendo pessoas. conheci um pessoal de araraquara muito legal… vou tentar manter um convivio com eles, assim como tive com um pessoal de bauru no ano anterior.

aí a noite vem a balada…. regada a Original, Boehmia, Orloff, vinho, jurupinga, catuaba, refri e agua á vontade! sobre os show, vou falar deles em separado, comentando O QUE EU ACHEI de cada um deles. sobre a tenda eletrõnica, neste ano foi simplesmnete a melhor de todas, com o melhor cenário… tinha motes psicodélicos no topo da tenda, telões e a pickup estava muito bem equipada.

sobre os jogos, nós fomos até quem bem… mas teve uma injustuça das bravas na disputa da baterias… franca era pra ser a campeã incontestável, mas bauru em segundo e guará em quarto foi ridiculo… todo mundo que falei acho que deveria ser franca, ilha e rio preto (é nóiiiiis na fita!), por terem sido as que mais animaram a galera e que também tiveram coreografias e saíram da batida classica… aliás, bauru roubou a batida de uam musica de ilha na cara dura… aqela batida é registro de ilha, assim como a coreografia facil, heheheh

Primeiro dia (15/11/2007) festa da bata

Nessa festa o pessoal tinha de ir com a bata (ou abadá) para assim conhcer o pessoal e reconhecer doende eram facilmente… é uma das festas mais fáceis de ocorrer uma integração e uma conversa legal.

Jamil e uma noites foi um show que vi até a metade… eles começaram com os grandes sucessos deles e animaram muito o palco 1, porém com as múisicas menos conhecidas fui desanimando e fui pra tenda eletronica. nota: 7,0. depois disso teve tati romero, mas nem vi… tava ocupado na tenda eletronica depois de ter passado no palco 2.

joão lucas e mateus… e depois frei caneca foram o do palco dois… somente no segundo fui um pouco para poder dançar com a mulherada… eles tocam bem e eu danço mal, hauhauahua nota: 7,0 (sem nota pro sertanojo)

Segundo dia (16/11/2007) festa black and white

taí uma festa que não entendi direito o “mote” dela, mas tudo bem…

no palco 1 começou com o show do viva a noite…. foi um bom show viu! achei que eles não eram tão bons assim para animar a platéia por tanto tempo, afinal só os vi antes nos poucos tempos que assisti pânico. nota 8,0. depois disso teve o “UÓ” do teatro mágico…. eu curto até as músicas deles, mas depois de meia hora não aguentava mais ficar parado lá… muito desanimado para uma festa daquelas e também para eu não dormir – estava sem dormir desde antes do primeiro dia – e eu sei que muita gente pode me matar por causa disso, mas a nota é 4,0.

no palco 2 a coisa melhorou muito…. teve capim gordura e eu fiquei dançando forró com uma bela guria, saí pra tenda somente quando parei de dançar com ela. nota 7,5. depois veio cambaio, que peguei lá pelo meio da apresnetação e fui lá para dançar um sambinha raiz com uma outra bela guria. pelo que vi os caras tocam de tudo quanto é tipo de samba. nota 7,0.

Terceiro dia (17/11/2007) festa a fantasia

o dia no qual as pessoas mais demoram para se arrumar e que muitas ficam planejando por meses, hauhauhauhauh. eu fui de BOPE – é aquele mesmo do filme tropa de elite – mas tinha outras pessoas come sse uniforme, inclusive mulheres… teve uma até que usei o jargão modificado “pede pra beijar… pede pra beijar” funcionou pelo menos dessa vez, hauihauhauhau

no palco 1 teve URV, uam bandinha que faz cover do do rappa. mesma merda que tocaram no interuenso de 2006, vi apenas por 1 minuto mas nem precisava amis que isso. nota: 2,0. Depois veio batcaverna e seu estilão carnaval mineiro… nem vi! sem nota.

agora no palco 2, ocorreu a MAIOR injustiça deste interunesp, enquanto os fraquíssimos URV estavam no palco 1, que é muito maior e em local arejado, no palco 2 estava a banda que tem a cara do interunesp: Velhas virgens! eu fiquei nesse show de ponta á ponta na frente… ajudei a mulheres subirem no palco, vi a calcinha da Lili umas n vezes, perdi a voz, gripei, pulei, cantei e depois ainda tirei foto com a Lili. Pouurra, mas é lógico que não vou dar nota 10 pra isso, vou dar nota UM MILHÃO DE REAIS EM BARRAS DE OURO QUE VALEM MAIS QUE DINEHIRO! (sic: silvio santos). deposi teve soul marley… raggae e eu não gosto de raggae nem vi. sem nota.

eu e a Lili dos Velhas Virgens

Quarto dia (18/11/2007) finais

neste dia, não tem mais balada, mas em compensação tem todas as finais de todos os jogos… muita coisa legal ocorrendo fora também nas tendas em volta do estádio e todo mundo reunido no memso local… só isso já deixa mais divertido! chegamos apenas na final de handebol feminino e tomamos uma lavada feia…. ams tudo bem, pelo menos chegamos lá.

resultado final>

campeão de xadrez! vice de handebol feminino e o resto caimos nas semis ou antes. encontrei amigos antigos e fiz novos… senti falta dos jogos alternativos de verdade – coisa que esse pessoal mais novo não sabe o que é – peguei original para beber e bohemia para lavar a caneca, coisa que jamais faria se não fosse lá, fiquei trsite por saber que ilha solteira – “oooo ilha solteira | fica mais um pouquinho| você é admirada | você é admirada | mas é longe pra caralho!”) – ter caído pra segunda divisão, e fui muito feliz!

Quem sabe dou um jeito de ir ano que vem… esperando que veja em ilha!!

ps1> talvez eu edite depois esse post para colocar mais fotos, principalmente das pessoas de campus diferentes que encontrei e/ou as figuras e momentos memoráveis que a memoria da minha camera digital conseguiu pegar, hehehe

ps2> eu sei que nenhum dos tr~es que vou falar JAMAIS irão ver esse blog, ams quero parabenlizar atrasado ao pessoal do Joven Nerd por ter consquistado como o melhor podcast e pelo Alexande Inagaki por ter ganho como melhor webblog em portugues e para o Marcelo Tás por ter ganho como melhor weblog no the Best of the Blogs! Só soube disso enquanto escrevia esse post… parabéns aos três brasileiros que mandaram muito bem e que são bons blogs sim, que eu recomendo inclusive!





Here I Am…

30 09 2007
por Kallrish

Hi ^^

E finalmente…eis que eu apareço no blog e comprovo que não sou um sócio fanstama né XD

Atualmente a máre não tá pra peixe né…
Vida de recém formado é dureza. Você normalmente já fica tentando escolher uma área pra poder trabalhar durante a facu…mas normalmente, são poucos os que tem a dádiva de conseguir fazer essa escolha. E além de tudo, acaba que temos que escolher mais de uma coisa, pois o mercado prefere absorver especialistas…mas de preferência os multi-especialistas se possível. Querem um mágico faz-tudo que tenha a capacidade de fazer o trabalho de umas cincos pessoas ao mesmo tempo, já que assim reduzem os custos e os problemas deles né..

Bem…seria ótimo se esse fosse o único problema…mas veja você…é um pouco complicado escolher algo pra se trabalhar baseado apenas na “teoria” vista na faculdade não acha?
Na hora H, é a experiência prática em uma determinada área que faz você ter uma visão real da coisa toda e analisar se realmente é aquilo que você almeja.

Mas como podemos ter algo desse tipo, se a maior parte das empresas só querem saber de dar serviço para pessoas que já tenham não sei quanto tempo de experiência na área?
Os recém formados, acabam passando por mal bocados com isso. Estão incrivelmente animados ao sair da faculdade…prontos pra por seus conhecimentos em prática e começar a recuperar tudo que investiram em seus 4 anos de estudo ou mais. Mas vem o mercado de trabalho e joga um bom balde de água fria na cabeça dos pobres coitados né.

Sou adepto de que certas informações deveriam ser abordadas na facu, para facilitar a vida das pessoas…mas como nada na vida é perfeito…haja paciência…
Não que eu esteja dizendo que não sabia de coisas do tipo…porque acaba que todos tem isso no seu íntimo…mas uma certa “esperança” insiste em bater a porta em horas como essa.

Veja meu caso por exemplo; agora eu vejo que serei obrigado a já investir mais em especializações de imediato se quiser ter chance no mercado.
Mas tenho minhas dúvidas sobre em qual área investir…
Faço uma pós-graduação? Faço um curso de especialização em algo? Faço outra facu pra complementar meus conhecimentos e abranger mais áreas? Bem…a única certeza que eu tenho é que todas as opções tem um valor interessante pra minha carreira e que é necessário para me ajudar a arrumar uma vaga decente no mercado de trabalho (e também, que vão me fazer voltar a ficar quase sem dinheiro como na época de facu XD).

Hummm…não pretendo chegar a uma conclusão aqui…mesmo porque eu ainda não encontrei uma hehehe
Mas é interessante parar e ponderar a respeito de coisas como essa…principalmente se você ainda estuda. Depois de situações como essa, é compreensivo o fato de porque muitas pessoas criam seu próprio negócio e vão com a cara e coragem ao invés de esperar por vagas milagrosas XP

Bem…agora me vou…tenho que aproveitar pra refletir mais um pouco sobre o que fazer…já que eu já percebi que a decisão tem que vir logo antes que eu fique insano de vez(já que doido eu já me considero faz tempo hehehe).

Como eu queria que música fosse um caminho de trabalho estável e rentável, daí podia montar minha banda e viver de viajar fazendo shows…ai ai…vida maligna viu XD

Yin falando sobre só 5 pessoas lendo…pelo menos alguém vai comentar o post dele…e os meus? XP

See Ya!





A faculdade e eu

11 09 2007
Por: Yin Yang

Talvez isso se torne uma série de relatos sobre a minha relação com a minha facu, que vai de um amor grande, com vontade de nunca sair ao ódio e querer nunca mais ver isso aqui.

Quando entrei, depois de um grande esforço – um dia quem sabe conte a historia que foi esse caminho – achei que ia ser foda estar numa grande universidade, que aqui teria um grande conhecimento à receber.

De fato, recebi, mas não na área academica. Aprendi a me divertir, de que a vida é muito mais que estudar, aprendi a beber que nem um louco e mesmo assim conseguir uma vida na facu boa, com notas boas a razoáveis e uma convivencia divertida e adquiri conhecimentos em váras áreas, não somente na computação.

Legal isso né? Mas eu sou um dos poucos que é assim da minha turma, sou considerado por certas pessoas uma ovelha negra. Sair? só no coquetel da semana de computação.. e olha lá! Conhecer pessoas fora do circulo? só se for de interesse academico. Ter uma união entre a turma? NUNCA!.. são todos meus rivais para a minha sonhada vaga numa empresa foda.

E com esse tipo de pensamento, a minha turma ficou isolada do resto do mundo universitário… não souberam como é divertido ver umas aulas de química experimental ou como pode ser satisfatório sentar numa roda e discutir assuntos que não sejam do nosso convivio – ahhhh… as rodadas de filosofia… cerveja, mulheres (dificil ter mulher em computação, minha classe tinha 3, uma não gostou e faz humanas agora) e discussões sobre fatos que aocntecem dentro e fora da universidade.

Sabe o que é pior nisso tudo? É a turma mais adorada pelos professores! Para eles, não somos pequenas mentes a serem moldadas no conhecimento, mas sim braços e cérebros a serviço de seu bel prazer, ou seja, suas teses, suas pesquisas. Quanto professor aqui não seria nada sem grandes alunos por detrás de tudo que fizeram as coisas existirem… tem uns aqui que sabem menos de computação que um “bixo”.

Logicamente eles me odeiam, pois eu penso sozinho, tenho opinião própria e queria fazer um projeto que ninguém lá conhece: a internet ou computação médica.

“peraí… vc disse Internet?” Sim, eu disse. Aqui os professores são tão ingessados no conhecimento que tiveram – OU NÃO – de seus mestrados e doutorados que não sabem nada de novas tecnologias. calma… não são todos que são tão arcaicos assim, mas tem uma parcela qeu domina o departamento.

Alias, eles são tão odiados pelos outros cursos… pq se acham a ultima bolacha do pacote e nem são as pesquisas de ponta e o grande nome do lugar. Ninguém gosta dos professores do nosso departamento pq eles não sabem dialogar… uma vez até zoei que eram robozinhos em forma de gente e que eram parte de um doutorado de alguém. XD

mas voltemos a minha turma. Nunca tiramos uma foto sequer juntos… a unica que quase tinha todo mundo era a foto p/ o convite do baile de formatura… e nem essa foi. Saía apenas com alguns da classe, que adorava ficar sempre na mesma panelinha. Eu saía muito mais com pessoas de outros cursos, me divertia mais com essas pessoas e tb elas não queriam me esfaquear pelas costas atrás de um bonus na area academica.

Pra dizer a verdade, me desaminei com a sequencia da carrera de modo academico por causa do que ocorre aqui. Hoje em dia penso mais em trabalhar e ganhar uma graninha legal, divertir com meus amigos e ter uma vida que me preencha de felicidade, não de títulos.

Que eu ganhe bem p/ ajudar os outros sem me enforcar, que eu tenha tempo p/ ensinar aos outros que realmente precisam, que eu tenha saúde para não depender de ninguem.
Isso sim seria uma vida boa.